Hamish Kilgour, baterista fundador do The Clean, morre aos 65 anos

author
2 minutes, 32 seconds Read



Hamish Kilgour, o músico neozelandês que co-fundou a pioneira banda de indie rock The Clean, morreu aos 65 anos. Representantes da banda confirmaram que o baterista foi encontrado morto após ser dado como desaparecido em novembro. Por causa da morte não foi revelado.

“Com o coração muito pesado, podemos confirmar que Hamish Kilgour faleceu em seu país natal, a Nova Zelândia”, disse a gravadora norte-americana Merge Records do The Clean em um comunicado compartilhado com a Pitchfork.

Kilgour e seu irmão fundaram o David The Clean em Dunedin, Nova Zelândia, em 1978. Sua formação mais famosa incluía o baixista Robert Scott, e depois de assinar com a incipiente gravadora independente Flying Nun, o trio ajudou a estabelecer o “Dunedin Sound”, completo com a guitarra angular de David e a bateria robótica de Hamish. O single de estreia do The Clean, “Tally Ho!”, foi lançado em 1981.

O Clean funcionou aos trancos e barrancos; a banda lançou os EPs Boodle Boodle Boodle e Ótimos sons ótimos no início dos anos 80, antes de entrar em hiato durante a maior parte da década. Ao mesmo tempo, os irmãos Kilgour lançaram músicas mais experimentais como The Great Unwashed. 1986 Compilação coletou as primeiras canções do The Clean para o público dos Estados Unidos, e o grupo fez uma turnê pela Nova Zelândia, Estados Unidos e Reino Unido antes de lançar seu primeiro álbum completo de 1990 veículo, em Flying Nun/Rough Trade.

The Clean lançou mais dois álbuns na década de 1990 – 1994’s rock moderno e 1996 País Desconhecido – apesar da mudança de Kilgour para a cidade de Nova York, onde ele começou outra banda chamada The Mad Scene. A estreia deles, uma viagem pela terra dos monstros, saiu em 1993 e foi seguido pelo segundo LP Sealight em 1996, após uma mudança para a Merge Records.

Kilgour continuou a tocar com The Clean esporadicamente ao longo de sua vida. Na década de 2000, o sucesso de portadores da tocha indie como Pavement e Yo La Tengo – combinado com o lançamento de um novo álbum, Fugir, e uma nova compilação, Antologia – trouxe um interesse renovado para a banda. O último LP deles foi o de 2009 Senhor Pop, enquanto Kilgour lançou um álbum solo, Tudo Isso e Nada, em 2014. A banda foi incluída no Music Hall of Fame da Nova Zelândia em 2017.



Similar Posts