Revisão: Hamlet, Southwark Playhouse – Everything Theatre

author
3 minutes, 12 seconds Read



O que acontece com a tragédia mais notória do Bardo quando você remove todos os personagens adultos? Liderada pelo Diretor Artístico Ricky Dukes, a Lazarus Theatre Company pode agora ser adicionada à longa lista de grupos que tentam revigorar uma peça clássica, tendo esta questão como estímulo. Escrita entre aproximadamente 1599 e 1601, a peça mais longa de Shakespeare, Hamlet, demonstra a história do príncipe dinamarquês em luto pela perda de seu falecido pai e ex-rei, Old Hamlet. Hamlet é enviado em uma missão de vingança pelo fantasma de seu pai, causando destruição em massa e a morte da maioria dos personagens. Normalmente…

Avaliação



Bom

Imagens poderosas e performances desenvolvidas, apesar de um roteiro desajeitado.

O que acontece com a tragédia mais notória do Bardo quando você remove todos os personagens adultos? Liderado pelo Diretor Artístico Ricky Dukes, Companhia de Teatro Lázaro podem agora ser adicionados à longa lista de grupos que tentam revigorar uma peça clássica, tendo esta questão como estímulo.

Escrito entre aproximadamente 1599 e 1601, a peça mais longa de Shakespeare Aldeia demonstra a história do príncipe dinamarquês em luto pela perda de seu falecido pai e ex-rei, Old Hamlet. Hamlet é enviado em uma missão de vingança pelo fantasma de seu pai, causando destruição em massa e a morte da maioria dos personagens.

Geralmente uma peça de quatro horas, Lazarus condensa esse roteiro frutífero em uma produção de 90 minutos, com foco exclusivo na perspectiva jovem da história. A encenação lembra intencionalmente um espaço de teatro juvenil, e a escolha do figurino do uniforme escolar simples contribui muito para atingir o tema desejado.

O público é apresentado a alguns visuais de tirar o fôlego: Hamlet (Michael Hawkey), ao lado de Horácio (Alex Zur) e Marcelo (Juan Hernández) correndo pelos terrenos do castelo com tochas como única fonte de luz, rodeado de fumaça; Hamlet se preparando para matar Polonius em uma igreja com luz entrando por uma porta nos bastidores, o cheiro de incenso flutuando. de Ofélia (Lexine Lee) os momentos finais projetados nas telas é uma adição bem-vinda que injeta vida e energia na performance.

Existem algumas performances de destaque do conjunto, especificamente em toda a cena ‘play-in-a-play’, demonstrando a adaptabilidade do elenco e proporcionando uma pausa necessária do melodrama altamente intenso dos muitos monólogos de Hamlet.

Infelizmente, um problema que impede essa adaptação de atingir todo o seu potencial reside principalmente na edição do roteiro. Embora os cortes tenham sido necessários, a inclusão de algumas cenas muito longas parece intragável e desnecessária a ponto de tentar ser transmitida. Deixar pedaços tão complicados de textos em favor de pontos-chave da trama é uma decisão decepcionante.

Lazarus avança em direção a uma versão muito eficaz e inovadora de Aldeiaapenas tropeçando em alguns obstáculos.


Escrito por: Willian Shakespeare
Direção: Ricky Dukes
Cenografia e figurinos por: Sorcha Corcoran
Projeto de iluminação por: Stuart Glover
Produzido por: Gavin Harrington-Odedra
Design de som por: Jovana Backovic

Hamlet joga no Southwark Playhouse até 4 de fevereiro de 2023. Mais informações e reservas podem ser encontradas aqui.



Similar Posts