Crítica: Maria Schneider estreia “American Crow” encomendado por Schwartz

É uma triste realidade da natureza do discurso contemporâneo que nos comunicamos em declarações altas e ousadas e absurdos beligerantes, graças a uma superabundância de ruído sem sentido disfarçado de informação na era das mídias sociais. Arrogância obstinada jorrada no Twitter e no Facebook é considerada sacrossanta, enquanto o sutil e o matizado são frequentemente […]